Noam Chomsky pode ser boa leitura para estudantes

Pegando carona numa frase um pouco polêmica de Caio Blinder no Manhattan Connection desse último domingo foi que montei meu título. Dentro de um contexto bem amplo Blinder disse mais ou menos isso: “falar sobre direitos humanos no caso de bin Laden é bom para estudante em debate de universidade”.

No mesmo dia puder ler a opinião de Noam Chomsky sobre a morte de bin Laden e a mesma frase polêmica pode ser usada para ele: coisa legal de ler e defender… se você for um estudante e estiver em algum debate na universidade.

Na escola se alguém erra na prova e fica com nota ruim aquele professor bacana sugere um trabalho para melhorar média. Na vida real se alguém comete um erro no trabalho é mandado pra rua. Adeus mundo acadêmico dos sonhos e filosofia vazia, bem vindo a vida real.

Talvez Chomsky tenha passado tempo demais na universidade…

Em seu texto ele exalta os direitos humanos de bin Laden, chama a ação norte-americana de assassinato e/ou execução, fala que foi provocação jogar o corpo ao mar, diz que nem sabem se foi mesmo bin Laden quem explodiu tudo o que dizia ter explodido, pessoas, mulheres, crianças e isso tudo usando como argumento uma lógica simples: Bush fez o mesmo com o Iraque e Afeganistão.

Ora! Assim fica fácil argumentar e agradar todos os aluninhos da sala…

Sejamos realistas e, se pudermos, vamos tentar avaliar as conseqüências de certas ações:

O que, exatamente (!), o exército norte-americano faria com o corpo do terrorista mais famoso do mundo? Levaria para onde, aos EUA por exemplo? Seria uma provocação também. Então onde levar? De volta para seu país de origem? Para onde afinal?

Prender bin Laden e realizar um julgamento respeitando seus direitos: sério mesmo? Imagine o circo da mídia de algo desse porte, sejamos práticos, esse homem em alguma prisão secreta ou sei lá onde esperando um julgamento, por mais rápido que fosse, e depois? Enforcariam caso fosse culpado? Com base na lei de onde, de qual país exatamente?

O que eventualmente causaria ao redor do mundo essa situação dele estar preso em algum lugar aguardando julgamento ou de seu corpo estar em algum país? Se fosse em seu país, a Arábia Saudita, qual seria a reação do povo? Onde enterrariam ele? Esse local seria divulgado ou não?

Todo ser humano tem que ser protegido e ter seus direitos garantidos e preservados, uma morte é sempre uma morte.

Os direitos precisam ser respeitados, mas como sair de um problema do tamanho de bin Laden sem que se desrespeite alguma coisa? Estou sendo sincero no que escrevo, me mostre uma saída de bom senso que não termine em mais mortes e mais ódio que retiro o que disse aqui e digo isso porque não tem outra saída, pelo menos não vejo.

Até vejo uma: ignorar que bin Laden estava vivo, fazer de conta que não sabiam onde estava e deixar ele morrer de causas naturais, seria a melhor saída. Claro que ninguém poderia saber porque já imaginou se descobrissem que um presidente deixou o inimigo número um escapar?

Os últimos textos que li de Chomsky e também de Zizek percebi que eles viraram os carregadores da bandeira politicamente correta que só aponta erros e  aponta os ressentimentos óbvios e ao dizer que combatem o ódio e preconceito, ironicamente, podem gerar mais.

É preciso ser mais prático porque pra colocar fogo no mundo é fácil… apontar erros, responsabilidades e todos os atrasos do passado é um tanto simples demais e quando transformam assuntos tão sérios e complexos em debates filosóficos sobre o que é o direito humano então tenho que concordar com Caio Blinder e pedir que façam isso na universidades porque na vida real não vai funcionar.

PS: sou um tanto atrevido sim ao criticar o ilustríssimo Chomsky dono desse currículo incrível

Noam Chomsky é professor emérito do Departamento de Linguística e Filosofía del MIT. É autor de numerosas obras políticas. Seus últimos livros são uma nova edição de “Power and Terror”, “The Essential Chomsky” (editado por Anthony Arnove), uma coletânea de seus trabalhos sobre política e linguagem, desde os anos 1950 até hoje, “Gaza in Crisis”, com Ilan Pappé, e “Hopes and Prospects”.

Muito atrevido… e não respeita hierarquia alguma ;)

3 opiniões sobre “Noam Chomsky pode ser boa leitura para estudantes”

  1. Uau Evandro, você fez uma leitura extremamente superficial desse artigo. Nossa, cara, é sério.

    Você está supondo que Chomsky disse que Bin Laden era _culpado_, mas merecia um tratamento mais justo. Chomsky está questionando a culpabilidade dele em primeiro lugar,

    “Nothing serious has been provided since. There is much talk of bin Laden’s “confession,” but that is rather like my confession that I won the Boston Marathon. He boasted of what he regarded as a great achievement.”

    E a mentalidade imperialista ocidental, de invadir um país na hora que quer e fazer o que quiser, etc.

    “We might ask ourselves how we would be reacting if Iraqi commandos landed at George W. Bush’s compound, assassinated him, and dumped his body in the Atlantic.”

    É claro que na situação da captuar de Bin Laden, talvez tê-lo jogado ao mar tenha sido mesmo a _melhor_ alternativa (dentro desse contexto já ruim), mas Chomsky usa desse episódio para apontar o malefício de _todo_ o contexto ;)

  2. Superficial nada, citei sim “diz que nem sabem se foi mesmo bin Laden quem explodiu tudo o que dizia ter explodido” e com essas teorias ele se junta a outros quase que apoiando teorias conspiratórias… Chomsky a meu ver está atirando pra todo lado, além de colocar em dúvida se bin Laden é ou não o homem por trás do 11/9 ainda critica o governo americano da forma mais bizarra que já vi. O que ele fala é tão sem sentido que a única conclusão que tiro é que quer vender alguns livros a mais.

    Ou então trabalha para o governo americano na tarefa de desqualificar o grupo terrorista, né? ;)

Os comentários estão encerrados.